quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Beijo na boca..., só com design

Na minha percepção de alguém que passa quase que o dia todo lidando com imagem, identidades visuais e todos os símbolos e sigmas que se pode relacionar com uma empresa, cada vez me apercebo mais que do jeito que os produtos e serviços estão virando commodities, o que nos faz optar por um produto, ou empresa é na verdade nossa identificação com sua identidade.
Fazer uma empresa pequena em estágio inicial em uma cidade pequena perceber isso é quase tarefa insana mas mesmo ela tem que trilhar esse caminho. Não importa se ela vende pães, tênis, limpeza de tapete ou é um clube social. O que nos faz andar uma ou duas quadras a mais, ir a um shopping ou a outro, atravessar a cidade para passar um tempo olhando vitrines ou numa praça de alimentação, não é mais só o preço. Ele pode até ajudar, mas hoje, com a concorrência em todos os segmentos se capacitando, preço não é mais possibilidade de diferencial, ele já está em vários setores "estabelecido". O que nos move hoje é a identificação com o lugar, o produto, a filosofia da empresa ou mesmo com seus funcionários.
Para poder ter esse diferencial, hoje se precisa investir em design, seja com designers ou com gente que não manja nada do metier. Ou melhor ainda com os dois tipos de pessoas juntas. Até porque design não é algo que acontece uma vez na empresa e depois não se busca mais. Design tem que ser constante, de todos e de cada um da corporação. Prá qualquer coisa dentro da empresa tem que haver uma imagem, um estilo próprio de fazer. É isso que vai fazer o cliente ainda se encantar, é nisso que hoje está o encantamento. TODOS tem a obrigação de ter produtos de qualidade, por preços adequados e com o mínimo de qualidade no atendimento.
Design é o que vai fazer o namoro acontecer. Depois pode até casar mas se não beijar na boca primeiro, não vai rolar mais nada com esse possível cliente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário