quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Web Intrauterina


Admito que no dia da ecografia 4D minha expectativa era grande para ver a expressão do rebento que estava por chegar. Ficamos imaginando como será a vida, a profissão, os amigos, os amores.... tudo sobre ele nos é importante.
Pelo Google eles devem descobrir quando será a sessão de vídeo que faremos e se preparam para parecerem seres angelicais e dependentes de nós, seus amorosos e servis realizadores de necessidades ainda não possíveis de serem pessoalmente executadas.
Tenho uma convicção íntima de que o treinamento web, tecnologia e afins se dá intrauterinamente.
Eu me assombro quando me apercebo que o meu garoto em nada teme a tecnologia. Muito pelo contrário. Ele ri dela e com ela o tempo todo do alto de seus 2 anos.
Quando para o dia das crianças fui testar sua reação à compra de um laptop desses infantis do tipo da Xuxa ou outro desses heróis, indicados para a idade de 5 anos, perguntei sua opinião. Podia esperar muita coisa.... mas o que veio me tirou o chão. Ele com o olhar mais compenetrado do mundo, desvia o olhar de mim, a ingênua mamãe e olhando para a vendedora pergunta:”Onde eu ligo o Google?”
Aí eu descobri que o furo era menos óbvio. Meu garoto já acessava o Google para poder escolher seus desenhos via You Tube.
Acredito que a grande palavra é essa :ESCOLHA
Aos 2 anos ele já sabe que pode escolher. Minha geração não tinha essa opção e talvez se a tivesse não saberia o que fazer com isso. Éramos tão lentos e ingênuos. As informações vinham mastigadas e digeridas. Só as absorvíamos.
Eles não. Querem experimentar. Descobrir. Escolher.
Ontem me coloquei a prospectar o que ele pensaria sobre nós quando alcançasse os 20 anos... E pensar todo o chão que eles vão desvendar até lá... Essa geração não vai dar pulos tecnológicos como a nossa dá, eles PROVAVELMENTE voarão..... a jato ou sei lá que tecnologia usarão.
Nós, pais de hoje, estaremos, se der tudo certo, tentando acompanhar estupefatos o mundo menor e mais intenso que nossos filhos criaram a partir do grão de areia que transferimos a eles.
A gente foi rápida em acabar com recursos naturais que devíamos conservar para todos nós e eles vão descobrir como viver em um mundo assim. Vai ser um grande embate entre a tecnologia e a mudança de paradigmas. Como mãe só posso educar para a questão moral e torcer para que a tecnologia por eles criada seja em prol de todos e não limitadas e limitantes. Vai ser ... como mãe.... eu sei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário